BNDES quer triplicar crédito para capital de giro de pequenas e médias

O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) pretende triplicar o valor dos empréstimos para capital de giro de pequenas e médias empresas no segundo semestre deste ano.

Pelos critérios adotados pelo BNDES, são considerados de pequeno e médio porte empresas com faturamento anual de até R$ 300 milhões.

A ideia da nova gestão do banco, liderada pelo economista Paulo Rabello de Castro, é aumentar os desembolsos nessa linha de crédito, que hoje somam pouco mais de R$ 4 bilhões por ano, para cerca de R$ 12 bilhões.

Nessas operações, o dinheiro é do BNDES, mas os empréstimos são operados pela rede bancária, sobretudo pelo Banco do Brasil, com quem o presidente do BNDES já está discutindo o assunto.

Rabello e o presidente do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, se encontraram nesta semana. O objetivo é que os dois trabalhem juntos para oferecer às empresas recursos que já têm à disposição, tentando reanimar a economia.

A oferta de capital de giro pelo BNDES aumentou durante a crise. No ano passado, a ex-presidente Maria Silvia Bastos Marques anunciou que elevaria para R$ 10 bilhões a dotação de recursos para esse tipo de empréstimo.

Neste ano, a instituição abriu a possibilidade para que grandes empresas também tomassem esse tipo de crédito no banco, em uma linha direta com o BNDES no valor total de R$ 5 bilhões.

Fonte: Folha.com